Prefeito de São Simão fica calado em audiência no Ministério Público

    0
    249
    • Político foi preso na Operação Paideia, acusado de ter cometido crime contra a dignidade sexual de um menor

    29 de julho de 2021 40 minute atualizado por Silas José

    O Ministério Público de Goiás (MP-GO) ouviu, nesta quinta-feira (29), na sede do Centro Integrado de Investigação e Inteligência (CIII), em Goiânia, o prefeito de São Simão, Francisco Assis Peixoto, preso em cumprimento de mandado expedido pelo juízo da comarca de São Simão, nesta quarta-feira (28), na Operação Paideia. Ele utilizou o direito constitucional de permanecer em silêncio.

    O político é suspeito de envolvimento em crime contra a dignidade sexual de um menor. Segundo denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO), a mãe de um adolescente de 15 anos contou que o prefeito de São Simão fez várias videochamadas com o filho e, em uma delas, mostrou as partes íntimas.

    Seis pessoas já denunciaram o prefeito, inclusive um jornalista que afirmou ter sido molestado por ele quando tinha cerca de 10 anos de idade.

    As investigações continuam em andamento e devem ser concluídas na próxima semana. O MP-GO está à disposição para receber depoimentos de outras possíveis vítimas e que as denúncias podem ser encaminhadas por intermédio do sistema MP Cidadão (https://www.mpgo.mp.br/portal/pagina/atendimento-ao-cidadao) ou pelos telefones da Promotoria de Justiça de São Simão (64 3658-1242 e 64 99347-4647). Os nomes dos denunciantes permanecerão em sigilo.

    O processo corre em segredo de Justiça.

    Paideia é um termo do grego antigo, que procura sintetizar a noção de educação na sociedade grega clássica. O termo tem relação com a educação voltada para as crianças, referindo-se à educação familiar, bons modos e princípios morais. (Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Enviar comentário!
    Digite seu nome completo