Líder de quadrilha que desviava recursos na Saúde do Pará tem 32 anos e já levou R$ 6 milhões em avião

    0
    265

    PF prendeu, na semana passada, 61 pessoas acusadas de desviar dinheiro de hospitais de campanha e de outros setores

    Por Redação Jornal Esperança Brasil 23/08/2021 7h24

    Na última quarta-feira (18), a Polícia Federal realizou a Operação Reditus, mirando uma quadrilha acusada de desviar dinheiro destinado à Saúde do Estado do Pará. Na ocasião, foram presas 61 pessoas. Detalhes das investigações mostram o perfil de algumas delas.

    O líder financeiro do esquema é Nicolas André Morais, um jovem pecuarista de 32 anos. Segundo a PF, ele chegou a ter 180 mil cabeças de gado. Em uma viagem de avião, Nicolas levou R$ 6 milhões em dinheiro vivo. As informações são do “Fantástico”, da TV Globo.

    Ainda de acordo com a PF, Nicolas tinha acesso ao alto escalão do governo local, e que quatro organizações sociais indicadas por ele conseguiram fechar contratos fraudulentos por cerca de R$ 1,2 bilhão. Estas empresas passaram a gerenciar nove hospitais do Pará, sendo quatro de campanha para pacientes com covid-19.

    No caso do hospital de campanha de Itaituba, por exemplo, a unidade deveria ter recebido R$ 8 milhões por mês, mas a quadrilha desviava R$ 5 milhões, causando enorme prejuízo à saúde do estado.

    Com o dinheiro, os membros do bando ostentavam vida de luxo e esbanjavam em carros, aviões, cabeças de gado, entre outros. Enquanto isso, faltavam itens nos hospitais, como respiradores e ventiladores. Além disso, profissionais de saúde deixavam de receber salário.

    Líder

    O líder da quadrilha seria o médico Cleudson Montali, de São Paulo. Cleudson esteve no Pará antes e depois da execução dos contratos fraudulentos. Ele aparece em fotos e vídeos com Nicolas. Quando Nicolas viajou com R$ 6 milhões em dinheiro vivo, Cleudson estava na aeronave. A defesa do médico alega inocência.

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Enviar comentário!
    Digite seu nome completo