Ministros do STF se reúnem para discutir reação a Bolsonaro. Fux fará discurso nesta 4ª

    0
    357

    O presidente do STF deve repudiar as ameaças de desobediência a ordens judiciais feitas pelo presidente da República neste 7 de Setembro

    07/09/2021 19:36,atualizado 07/09/2021 20:19 Radio Esperança Brasil

    Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) se reuniram virtualmente, nesta terça-feira (7/9), para alinhar reação aos ataques frontais do presidente Jair Bolsonaro à Corte – e principalmente ao ministro Alexandre de Moraes. No encontro, ficou definido que o presidente do STF, ministro Luiz Fux, fará pronunciamento nesta quarta (8/9), e deve repudiar em termos claros e duros as ameaças do chefe do Executivo federal e do povo que manifesta a favor do presidente.

    A fala ocorrerá na abertura do plenário, antes da sessão de julgamentos.

    Bolsonaro chegou a dizer que não cumprirá decisões judiciais que vierem a ser expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes. E ainda ameaçou o magistrado: “Ou se enquadra ou pede para sair”. Diante dos ataques, foi consenso, entre os ministros, a necessidade de uma resposta às falas do chefe do Executivo federal e para a nação.

    Recentemente, Fux cancelou reunião com Bolsonaro e com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O encontro, idealizado pelo próprio ministro, era para tentar reduzir a tensão com o mandatário da República. A crise entre os dois Poderes tornou-se ainda mais profunda após as manifestações de Bolsonaro neste 7 de Setembro.

    Na ocasião, em duras palavras, Fux

    Presidente do STF Luiz Fux fala com a imprensa na saída do encontro com presidente Jair Bolsonaro
    r

    Reclamou das ofensas de Bolsonaro a membros da Suprema Corte e ao processo eleitoral brasileiro. A avaliação é que o presidente do STF subirá o tom no discurso desta quarta.

    “O presidente da República tem reiterado ofensas e ataques de inverdades a integrantes desta Corte, em especial aos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Além disso, Sua Excelência mantém a divulgação de interpretações equivocadas de decisões do Plenário, bem como insiste em colocar sob suspeição a higidez do processo eleitoral brasileiro” , disse, na época.

    COMENTEM E COPARTILHA

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Enviar comentário!
    Digite seu nome completo