Nova Lei de Improbidade Administrativa para punir gestores públicos imprudentes diz ex juiz Sergio moro:

0
261

O ex-juiz da Lava-Jato, como se sabe, é a única força capaz de unir petistas e bolsonaristas — no ódio contra ele

Por Catilanga Alves Atualizado em 27 out 2021, 10h24 – Publicado em 27 out 2021, 16h40

A caminho da candidatura ao Planalto em 2022, Sergio Moro já começou a atirar nas duas forças que devem se unir nos próximos meses para atacá-lo.

Ao falar das mudanças na Lei de Improbidade Administrativa que entraram em vigor nesta semana, o ex-juiz da Lava-Jato disse que um petista relatou as mudanças que “retiraram de cena mais um petista relatou as mudanças que “retiraram de cena mais um instrumento contra a corrupção”.
Além de acusar o petismo de facilitar a vida dos corruptos, Moro bateu em Jair Bolsonaro por tabelar com a esquerda ao não vetar as mudanças. “O presidente da República poderia ter vetado, mas preferiu o retrocesso”, diz Moro.

O ex-juiz da Lava-Jato, como se sabe, é a única força capaz de unir petistas e bolso aristas. Algoz de Lula e ex-auxiliares de Bolsonaro, Moro deixou inimigos nos dois campos da polarização que domina o país desde as eleições de 2018.

Com a nova Lei de Improbidade Administrativa, danos causados por imprudência, imperícia ou negligência não podem mais ser configurados como improbidade para punir gestores públicos imprudentes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Enviar comentário!
Digite seu nome completo